Carta para alguém, ou não…

Beibe,

 Quanto tempo não nos vemos, falamos, tocamos, mas a vida tem dessas coisas. Uma hora lá estamos todos juntos passeando de carro pelas ruazinhas da cidade e na outra tá cada um no seu canto, alguns à milhas de distância e um outro tanto se divertindo com um grupo diferente… Isso não significa a não existência da saudade e do nosso tempo juntos, né?

Desde a nossa última volta de carro pela praia eu já rodei o mundo duas vezes, encontrei quatro homens da minha vida e seis mulheres, amo a todos, mas nenhum deu tão certo quanto eu e tu e sabemos bem o motivo disso, não? Sim… É por causa de todo aquele nosso não-compromisso infantil, dos programas no estilo jogar video game a manhã toda e deixar para sair de casa de tardinha só para assistir o pôr-do-sol e depois ir tomar um sorvete junto a nossa trupe.

Sinceramente, creio termos acertado ao colocar um ponto final na parte amorosa da nossa história… No finzinho eu só sabia falar de asas e tornozelos fracos e tu só sabias ficar vidrado naquela droga de Resident Evil. Ao mesmo tempo acredito que uma hora a gente acerta os ponteiros e volta a se beijar quando sair, até pelo fato de termos o pacto de viver toda a história juntos até o final e ela ainda não acabou… Só estamos num longo intervalo, agora tu te divertes com as meninices da praia e eu com as meninices da serra.

Não vou escrever o já sabido, o já acertado antes do primeiro final… Escrevo para avisar que finalmente irei a França e Portugal, juntei uma graninha nesses últimos tempos e agora dá para passar uma temporada por lá e qualquer coisa eu tento arranjar um bico pra me manter um pouco mais de tempo no velho continente… Se pá até visito aquela minha amiga na Alemanha.

O atual namorado teve um treco quando e contei, meus outros amores nunca entenderam a minha necessidade de jogar o corpo mundo afora, tendo companhia ou não… Só tu entendes, as vezes ias comigo nas minhas loucuras e outras me deixavas ir pois sabias que eu voltava logo, logo…

Já tentei falar para ele ir comigo, ele não ouve, não quer nem pensar na hipótese e disse que se eu embarcar não preciso voltar pra ele nunca mais. Esse egoísmo das pessoas ainda me matará! Sempre deixei elas irem para voltarem quando quiserem e quando é comigo sempre to na mão das possesivas, egoístas e podadoras de sonhos.

Escrevo também para dizer que este final de semana lembrei de ti, como sempre… Fui para a casa na praia e lá estava aquele álbum de fotos da nossa turma. Como éramos felizes! Línguas, caretas, fantasias, dancinhas, baladinhas dentro de casa, corridas na praia, aventuras nonsense… Acabei ouvindo os cds da Emilie Simon e lembrei de nós dois cantando em coro: I want to live in paradise… É muito a gente, é muito a nossa história. Só faltou assistir Eternal Sunshine of the Spotless Mind para completar o momento putaquepariu-hoje-a-saudade-é-maior-que-nunca!

É isso… To com saudades, quilométricas saudades e vou embora do país por tempo indeterminado, mas eu volto… Não pro meu atual namorado, mas pra ti como sempre…

Schuacks e Smacks,

Responder a Carta para alguém, ou não…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s