Fantasma

Dia desses caminhando pela rua esbarrei num fantasma, não uma pessoa do meu passado, mas um fantasma mesmo! Era alto, com cavanhaque branco e uma careca demarcada… Usava um terno cinza meio surrado demais e era corpulento. Tomei um susto, na minha frente lá estava Sigmund Freud e eu não possuia nenhuma palavra de exclamação ou pergunta para fazer a ele naquele momento.
.
Perdi a maior entrevista da minha vida por não saber o que falar… Droga, teria sido único o bate-papo com o papai da psicanálise.

Responder a Fantasma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s