Fahrenheit 451

O primeiro filme de Truffaut em inglês, adaptação do livro de Ray Bradbury… A demonstração de um mundo onde é proibido ler, experimentar os mundos maravilhosos que os romances nos proporcionam ou aprender os ensinamentos de teóricos importantes – seja Adam Smith ou Karl Marx. Adquiri o DVD deste fantástico filme durante a temporada passada em Manga City, numa tarde dentro da Lojas Americanas do shopping Iguatem de lá, havia tempo que procurava uma cópia desta obra – fosse DVD ou VHS – e lá naquela cidade nortista encontrei-o perdido entre algum fime do Will Smith e qualquer um que a Lindsay Lohan tenha feito.

Fahrenheit não é só um bom filme, mas uma experiência que deveria ser tida dentro de uma boa sala de cinema, projetada em 35mm e como os olhos de Julie Christie nos absorvendo por completo… Uma pena eu ter perdido essa oportunidade quando o falecido Cine Alvorada do Top Center exibiu este filme… Uma bela comida de bola na minha vida cinéfila, ou quase cinéfila.

O mais importante é que agora eu possuo esta obra do Truffaut na minha DVDteca e hoje a assisti, mesmo sendo numa tela de notebook, e percebi o quanto este diretor é fantástico e como o filme é essencial para a base de discussão sobre diversos assuntos… Não sou teórica de nada, muito menos filósofa… Mas com certeza é uma obra que permeará o embasamento das minhas discussões acadêmicas e de bar por um bom tempo, maybe forever.

Responder a Fahrenheit 451

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s